Nota de Imprensa da Missão de Apoio ao Processo Eleitoral na Guiné-Bissau

Sincronização de dados e voto na mesa eleitoral previnem fraude a 16 de Março

Bissau, 16 JAN-2014 – A Missão de Timor-Leste de Apoio ao Processo de Recenseamento Eleitoral na Guiné-Bissau anunciou hoje que a prevenção de fraude eleitoral através de duplicação de cartões passa em primeiro lugar pelo crivo da sincronização dos dados recolhidos no recenseamento.

O chefe da Missão e Secretário de Estado da Descentralização Administrativa do V Governo Constitucional timorense, Tomás Cabral, precisou que os dados completos de identidade e número de cartão de cada eleitor recolhidos no ato do recenseamento são cruzados na sincronização final feita pelo computador central – a que são ligados todos os 150 kits espalhados pelo país – antes da produção das listas definitivas a entregar ao Gabinete Técnico de Apoio ao Processo Eleitoral (GTAPE).

A mesma fonte adiantou que como o recenseamento não é nacional, mas sim é feito por mesa eleitoral, cada eleitor só poderá votar na mesa que lhe corresponde, isto é, exactamente naquela em que recenseou e em mais nenhuma outra.

Tomás Cabral chamou por outro lado a atenção para a necessidade de serem acauteladas despesas desnecessárias de reimpressão de cartões – que de facto estão a ser suportadas pela solidariedade timorense -, devido quer à falta de atenção dos cidadãos na verificação dos seus próprios dados, quer à falta de zelo dos operadores na revisão dos boletins de registo, antes de carregarem no botão da impressora.

Acrescentou ainda que os operadores – ou brigadistas – têm de ter cuidado adicional com a boa limpeza e conservação dos kits e respectivos periféricos, visto ser equipamento electrónico muito sensível.

“Deve ser evitado a todo o custo o desperdício de material e dinheiro”, acentuou Tomás Cabral, numa alusão direta às câmaras digitais, tablets de assinatura, impressoras, tinteiros e cartões, bem como aos próprios computadores.

O chefe da Missão de Apoio ao Processo de Recenseamento Eleitoral na Guiné-Bissau deixou uma palavra final para frisar que Timor-Leste não é doador, mas apenas um país irmão solidário, com  uma dívida histórica de gratidão que remonta aquando a Guiné-Bissau foi a primeira nação africana a apoiar a causa de libertação de Timor-Leste.

No dia de hoje, 16 de Janeiro de 2014, Timor-Leste procedeu à entrega de 200 Ribonns dos 1400 já adquiridos e que se encontram a caminho de Bissau. Foram igualmente entregues aos brigadistas do recenseaamento eleitoral da região de Bissau 30 mesas de recenseamento eleitoral e 150 ribonns por cada uma das referidas mesas.

No dia 28 de Novembro de 2013 foram entregues 3700 ribonns ao GTAPE e adicionalmente 1400 ribbons. De salientar que cada ribonn pode imprimir 200 cartões eleitorais.

Além dos ribonns, foram adquiridos 100.000 cartões brancos para impressão dos cartões eleitorais, 200 cleaning kits e 20 webcameras. Espera-se que este material chegue à Guiné-Bissau no decurso da próxima semana.dsc_0633

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s